Blog do Benri

Fique por dentro do que acontece no setor sucroenergético e tenha acesso a materiais exclusivos.

As práticas de comunicação corporativa têm se tornado cada vez mais presentes no setor sucroenergético, refletindo os esforços realizados por usinas em retornar a potenciais investidores, credores, clientes e outras instituições informações relevantes sobre suas ações e resultados.

Confira no PDF como as usinas tem utilizado a classificação independente do BENRI como ferramenta de comunicação corporativa com o intuito de (i) atestar o nível de eficiência agroindustrial alcançado pela gestão da Usina, bem como (ii) ressaltar o compromisso de melhoria contínua assumido pela unidade ao utilizar o rating operacional como forma de mensurar os ganhos de eficiência obtidos ao longo das safras. Acompanhe no documento abaixo:

  Baixe o PDF

 

 

 

A utilização dos resíduos industriais torna-se um relevante fator para a análise do risco operacional agroindustrial em virtude da heterogeneidade existente no setor sucroenergético brasileiro em termos de (i)  localização geográfica das unidades, (ii) composição dos ambientes de produção agrícola, (iii) distribuição das áreas contíguas sob gestão da unidade (muitas vezes intercaladas às áreas de fornecedores de cana-de-açúcar) e (iv) características técnicas dos procedimentos de extração e fermentação das usinas.

Desse modo, a viabilidade econômica da aplicação de resíduos industriais se dá a partir de inúmeros fatores intrínsecos à operação da unidade, tal como citado anteriormente, de modo que a estratégia ótima de aplicação dos resíduos deve ser o resultado de um estudo técnico e uma análise de custo benefício conduzidos pela usina.

Continue Lendo

Plantio mecanizado vale a pena?

O plantio mecanizado acompanhou com um hiato temporal e tecnológico a evolução da colheita mecanizada. No entanto, se hoje a colheita está 100% mecanizada e consolidada, o plantio mecanizado está com sua participação bem menor. Atingiu seu pico na safra de 2015/16 de 77% da área de cana plantada pelas máquinas. Sob a justificativa de redução de custos e melhor qualidade do plantio, algumas usinas estão retornando ao antigo Método Inter-rotacional Ocorrendo Simultaneamente, a chamada Meiosi. Mas o auditor do Benri Ratings, Otávio Tufi, alerta que tão importante quanto pensar em economia, é levar em conta os riscos envolvidos ao abrir mão do plantio mecanizado, apesar das limitações existentes nos equipamentos hoje disponíveis, como o excessivo consumo de mudas, danos em gemas e a possibilidade de uma maior porcentagem de falhas. Por exemplo, na América do Norte, que não é referência na produção de cana-de-açúcar, hoje a metodologia de plantio mecanizado com canas inteiras lá aplicada, gera resultados satisfatórios.

Continue Lendo

 

A eficiência de uma usina que destina grande parte de sua matéria prima para a produção de açúcar é comparável a outra em que o mix de produção é mais voltado à produção de etanol? E se a usina, tradicionalmente açucareira, respondendo a sinais de mercado inicia a produção de etanol por conta dos preços mais competitivos? Como comparar, de maneira eficiente e sem viés, o rendimento entre safras? Essas e outras perguntas, tão frequentes no cotidiano das unidades, são tratadas neste artigo. 

Continue Lendo

Descubra o Benri

  • Rua Cezira Giovanoni Moretti, 600
  • Jd. Santa Rosa - Piracicaba
  • São Paulo - Brasil - CEP 13.414-157
  • +55 19 3423 9515
  • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
  • www.benriratings.com

Receba novidades